A curiosidade - e não apenas o conhecimento - sobre ciência influencia a percepção do público sobre vacinas, mudanças climáticas

Dan Kahan

BDEngler / wikimedia commons

A curiosidade - e não apenas o conhecimento - sobre ciência influencia a percepção do público sobre vacinas, mudanças climáticas

Por Teresa L. Carey 19 de fevereiro de 2017 às 12:45

BOSTON - Uma simples curiosidade sobre a ciência pode fazer a diferença entre pessoas que aceitam conceitos como evolução e mudanças climáticas criadas pelo homem e aquelas que não? Isso é algo que Dan Kahan quer descobrir. Professor de psicologia e direito na Yale Law School, em New Haven, Connecticut, Kahan fez uma palestra aqui na sexta-feira na reunião anual da AAAS, que publica Science, sobre algo que ele chama de "curiosidade científica" e seu papel na formação da opinião pessoal. A ciência sentou-se com ele na reunião para aprender mais. Esta entrevista foi editada por questões de concisão e clareza. P: O que é curiosidade científica? R: A curiosidade científica é um desejo de procurar e consumir informações científicas apenas pelo prazer de fazê-lo. As pessoas curiosas em ciência fazem isso porque ficam satisfeitas ao ver o que a ciência faz para resolver mistérios. Isso é diferente de alguém que demonstraria interesse em informações científicas porque tinha um objetivo específico, como querer se sair bem na escola. As pessoas curiosas pela ciência são movidas pela pura atividade de consumir o que a ciência sabe. P: Como você mede a curiosidade científica? R: Os pesquisadores tiveram problemas para apresentar boas medidas de curiosidade. Decidimos tornar nossas medidas muito específicas. Incorporamos perguntas ao que parece uma pesquisa de marketing ao consumidor. É um composto de diferentes tipos de perguntas, como opiniões autorreferidas, comportamentos e medidas objetivas. Por exemplo, uma pergunta nos ajuda a determinar se você deseja ler uma história sobre ciência em oposição a esportes, finanças ou entretenimento. Também fazemos com que eles assistam a vídeos científicos para ver quanto tempo leva antes de desligá-los. Tentamos não bombardear as pessoas com perguntas que se resumem a: "Você gosta de ciência?" Porque elas sabem o que você procura. Com nossa pesquisa, elas não sabem dizer o que estamos buscando. R: Pode A curiosidade científica ajuda a combater os equívocos sobre mudanças climáticas e vacinas? P: Em nossa pesquisa, vimos que, com maior curiosidade, as pessoas estão mais dispostas a levar em consideração novas informações ao formar suas opiniões sobre o mundo. se eles mudam de idéia - mas se estão pensando melhor sobre quais são os problemas. Em nosso estudo, observamos essa tendência por acaso quando não estávamos procurando por ela. E é por isso que devemos estudar mais para fazer a pergunta. Se os indivíduos curiosos em ciência obtêm informações que são contrárias às suas predisposições, elas são mais abertas a elas? Confira nossa cobertura completa do AAAS 2017.